Busca
ENQUETE Você acha que a transmissão de radio deve ser cobrada pelo cruzeiro?
  • Sim
  • Não
  • Somente para Radio Itatiaia




29 05 08
Cruzeiro 2x0 Coritiba - Campeão sob a batuta do mestre Felipão!

Cruzeiro 2x0 Coritiba – O primeiro titulo sob a batuta do mestre Felipão

 

 

 

         No ano de 2001 após eliminar o rival na semifinal da copa sulminas o cruzeiro se preparava para mais uma final. Seriam duas partidas decisivas contra o Coritiba sendo que os paranaenses jogavam por dois resultados iguais após terem feito a melhor campanha na primeira fase. Mesmo assim como tinha um melhor saldo de gols na competição o cruzeiro jogaria a segunda partida no Mineirão decidindo o titulo frente a sua torcida.

         A semana de preparativo para o primeiro jogo tinha sido tumultuada, mesmo assim o técnico Felipão acreditava que como o sistema de jogo do Coxa Branca era parecido com o do nosso rival, nossos jogadores não teriam dificuldade em se adaptar.

O dia da grande decisão começou com tudo a favor dos paranaenses, muita chuva deixara o campo pesado o que era vantajoso ao time que tinha um pior toque de bola. Para piorar era esperado que o time celeste estivesse cansado afinal enfrentara o Sporting Cristal pela Libertadores apenas quatro dias antes da decisão e só chegaram ao Brasil depois de 8 horas de viajem.

A pressão sobre o Coxa era grande, nos últimos 10 anos o time paranaense tinha conquistado apenas um campeonato estadual, e mais um titulo de âmbito nacional era o desejo de toda a sua torcida e á anos o time não chegava tão próximo.

         Com este clima de guerra o cruzeiro entrou em campo no estádio Couto Pereira querendo já decidir o titulo na primeira partida. O jogo começou com os paranaenses vindo para cima e botando pressão nos primeiros 15 minutos, o coxa perdera duas boas chances de abrir o placar no inicio da partida uma com Marquinhos e outra com Da Silva. Apenas aos 16 minutos o cruzeiro veio a respirar em boa tabela de Geovanni e Sorin que por pouco não balançara as redes adversárias.

         O jogo era lá e cá com boas chances para as duas equipes mas aos poucos o time foi escutando as ordens do técnico Felipão e aproveitando a velocidade do ponteiro Geovanni.Aos 21 minutos o desengonçado centroavante Oseas recebera passe de Geovanni livre na área porem se embaralhou todo e perdeu o gol. Ate o final da primeira etapa os melhores momentos foram todos celestes quando Jorge Wagner e Geovanni ambos perderam ótimas oportunidades.

         Na volta do segundo tempo como era de praxe o técnico celeste motivara a equipe no intervalo e os jogadores acreditando na vitória foram para cima na tentativa de já decidir o titulo na casa do adversário. E o gol não demorou a sair, aos 8 minutos o meia Jackson arriscou um chute de fora da área e o goleiro Ney engoliu um frango histórico por debaixo das pernas.

            Apos o gol o time Coritibano desabou em campo, com muita raça e jogando pelas laterais o Cruzeiro foi para cima. Aos 20 minutos mais uma vez Oseas perdera boa chance porem aos 27 o folclórico “Oseinha da Bahia” não falharia. Marcos Paulo Roubou uma bola no meio e tocou para o centroavante marcar o segundo gol.

         Depois do segundo gol coube ao time paranaense se recuar ainda mais ate o apito final para evitar uma goleada. A torcida celeste já tão acostumada ao grito de campeão tinha na casa do adversário a certeza que aquele seria mais um titulo para nossa brilhante sala de troféus.

 

CRUZEIRO 2 x 0 CORITIBA (PR)

Motivo: 1ª partida da Final da Copa Sul Minas

Data: 17/03/2001 (Sábado – 16h)

Estádio: Couto Pereira

Cidade: Curitiba (PR)

Público: 23.209

Árbitro: Edilson Pereira Carvalho (SP)

Auxiliares: Marcelino Tomáz (SP) e Francisco Feitosa (SP)

Gols: Jackson 8 do 2o; Oséas 27

Cruzeiro: Bosco, Cléber Monteiro, Luisão, Cris, Sorin, Marcus Vinícius, Marcos Paulo, Jackson, Jorge Wagner (Sérgio Manoel), Oséas (Marcelo Ramos), Geovanni (Adriano Chuva)

Técnico: Luiz Felipe Scolari

Coritiba: Nei, Patrício, Picoli, Edinho Baiano, Anderson (Filipe Alvim), Reginaldo Nascimento, Ataliba, Mabília, Pepo (Djames), Da Silva, Marquinhos.

Técnico: Iwo Worthmann

 

 

 

(3) Comentários > Comentar