Busca
ENQUETE Você acha que a transmissão de radio deve ser cobrada pelo cruzeiro?
  • Sim
  • Não
  • Somente para Radio Itatiaia




02 04 08
Outro Atlético que se contenta em perder de pouco!

Cruzeiro 1 x 0 San Lorenzo-ARG

19/11/98


Após eliminar o velho rival River Plate, na etapa anterior, o Cruzeiro se preparava para enfrentar outro time argentino pela semifinal da Copa Mercosul. O adversário também era outro velho conhecido, o Clube Atlético San Lorenzo de Almagro, mais conhecido por su hinchas como “el cuervo”.


Ambas as equipes já tinham se enfrentado naquela competição disputando duas partidas na etapa inicial do torneio. Queria o destino que novamente ambos os times se enfrentassem, e agora, no mata-mata para decidir quem iria a final.


Pelo lado argentino, a concentração era total na disputa da Copa Mercosul já que era o último grande clube argentino sem títulos internacionais, parecido até nisso com outro Atlético que conhecemos e, além do mais, el cuervo já estava sem chances no campeonato nacional daquele país. Já o Cruzeiro, vindo de sete vitórias consecutivas, vinha fazendo grande campanha tanto no Campeonato Brasileiro quanto na Copa Mercosul e os jornais a toda hora perguntavam qual torneio a equipe celeste iria priorizar.


A diretoria celeste convocou a torcida e ela, como de praxe, não decepcionou lotando o estádio, na expectativa de empurrar o time celeste a mais uma grande vitória internacional.


O jogo começou com muita velocidade com ambos os times buscando o gol. Logo no primeiro minuto, Esteves recebeu na entrada da área e chutou forte no canto direito obrigando Dida a fazer grande defesa. Imediatamente o Cruzeiro respondeu com Fábio Júnior que obrigou o Passet, excelente goleiro, a trabalhar.


O ritmo do jogo continuava fortíssimo e não demorou para o Cruzeiro abrir o placar. Aos 19 minutos, Alex Alves recebe cruzamento de Gustavo, invade a área e chuta forte para abrir o marcador.


A torcida celeste explodiu em comemoração. Todos sabiam que o jogo seria difícil e entre duas grandes equipes sul-americanas. O gol logo no inicio serviria para tranqüilizar a equipe que precisava fazer um bom saldo de gols em Belo Horizonte visando dar tranqüilidade ao jogo de volta em Avellaneda, local onde o Cruzeiro não conseguia uma história de bons resultados.


O San Lorenzo sentiu o gol e recuou sendo dominado nos momentos seguintes pela equipe mineira que perderia boas oportunidades como aos 24 minutos com Alex Alves e aos 30 com Gilberto.


Somente a partir dos 35 que a equipe argentina passou a respirar. Ainda no primeiro tempo, Alex Alves recebeu lançamento pela direita e cruzou para Muller soltar a bomba. Antes de a bola chegar ao gol Amelli cortou sua trajetória com a mão e o árbitro não titubeou em marcar a penalidade. Valdo, excelente e experiente cobrador, bateu mal e Passet voou no canto esquerdo para defender.


Um jogo decisivo destes, cada lance tem uma importância muito maior, o segundo tempo começou também em ritmo acelerado. Enquanto Alex Alves perdera grande chance no ataque, Dida fora obrigado a praticar um de seus milagres aos sete minutos para evitar o empate argentino. O armador Gorosito era o craque do time argentino e organizava seu meio de campo, pelo lado celeste o ponteiro Alex Alves levava o terror aos defensores "del cuervo" que estavam mais preocupados com o artilheiro Fábio Júnior. O jogo continuou rápido ate os 25 minutos da etapa final. Porém , depois que viram Fabio Junior perder boa oportunidade entrou em ação a famosa catimba portenha.


Satisfeitos com o resultado de derrota pelo placar mínimo a equipe Argentina passou o resto do jogo todo com o único intuito de não deixar o cruzeiro jogar. As chances de gol minguaram e ao final da partida todos os Argentinos comemoraram a derrota para o cruzeiro. Segundo os mesmos no estádio Nuevo Gasômetro eles teriam todas as condições de reverter o placar, o meia Gorosito era o mais animado e não escondia os sorrisos. Porem os deuses do futebol são justos e nunca é inteligente comemorar uma derrota. Semanas depois com um centroavante de goleiro e mostrando toda a raça que nos consagrara por toda nossa historia o Cruzeiro Esporte clube foi valente na argentina e conquistou a classificação. Ao San Lorenzo coube a lição que uma derrota nunca é bom negocio.


Ficha Técnica
Cruzeiro 1 x 0 San Lorenzo-ARG
Competição - Copa Mercosul (Semifinal)
Estádio Magalhães Pinto
(MIneirão) - Belo Horizonte - MG
Público - 12.114 / Renda - R$104.147,50
Árbitro - Jorge Larrionda (URU)

Assistentes - Gustavo Galessio (URU) e Rubem Meneses (URU)

Gols: Alex Alves aos 19' do 1º tempo

Cruzeiro : Dida; Gustavo, Gottardo, Marcelo Djian e Gilberto; Marcos Paulo, Dkair, Valdo, Muller (Caio); Alex Alves e Fábio Júnior (Marcelo Ramos). Técnico: Levir Culpi.

San Lorenzo (ARG) Passet; Paredes, Ameli, Tuzzio e Manussovich; Coudet, Basavilbaso (Borelli), Lusenhoff e Gorosito; Estévez (Coria) e Acosta (Biaggio). Técnico: Alfio Basile.

Cartões Amarelos: Gustavo, Marcelo Djian e Gottardo (CRU); Paredes, Manussovich, Passet (SLO)

Dedicatória.

Esta página é dedicada a um jogador que mesmo sendo mineiro e cruzeirense, sempre teve mais críticos do que apoiadores. Um jogador que mesmo sendo limitado atuava com dedicação. Um jogador que mesmo não sendo ótimo em nenhum fundamento, ajudava muito a equipe. É um jogo dedicado ao lateral Gustavo que, ao fazer um cruzamento para o atacante Alex Alves, propiciou uma vantagem mínima que contenta a muitos atléticos por aí, mas que constrói, a cada jornada, uma nova página heróica imortal. Fica aqui o nosso agradecimento ao lateral Gustavo por esta vitória sobre atléticos que se contentam em perder de pouco.

(17) Comentários > Comentar