Busca
ENQUETE Você acha que a transmissão de radio deve ser cobrada pelo cruzeiro?
  • Sim
  • Não
  • Somente para Radio Itatiaia




10 03 08
Resenha do Mixa - Cruzeiro x Atlético-MG
POUCO FUTEBOL

Parece consenso que há muito não se via tão pouco futebol em um clássico envolvendo o Cruzeiro com o Atlético, e isso se justifica por uma avaliação de um conjunto de fatores.

O Cruzeiro, na condição de protagonista maior do jogo pelo melhor futebol de Minas na atualidade, avaliação essa decorrente dos números de quem ainda não foi derrotado, e bem ou mal ostenta a liderança do campeonato mineiro e também de sua chave na Libertadores, seria o responsável por fazer da partida um jogo belo de se ver.

Seria, se não tivesse tanta dificuldade com os desfalques sucessivos durante o jogo. A partida mal começava, e aos 16 minutos o jogador de frente, mais temido pelos rivais, o garoto Guilherme, saía de campo dando lugar a Marcinho.

Já aos 34 era vez de Charles sair para dar lugar a Sandro. No segundo tempo, após substituir Jonathan para a entrada de Elicarlos, o time ainda sofreria com Sandro, Thiago Heleno e Marcelo Moreno com lesões em campo, e impossibilitado de novas alterações, fazendo com que o time se segurasse aos trancos e barrancos até o fim do jogo sem a derrota.

O Atlético diminuiu os espaços do Cruzeiro durante quase todo o jogo, chegando a abusar das faltas no primeiro tempo, e após o Cruzeiro sofrer com as contusões, chegou a levar vantagem na iniciativa das ações, mas todas sem muito perigo efetivo.

Desta forma, como o Cruzeiro não apresentou futebol, não é do Atlético que isso viria, já que o destaque do time, o Marques, não atuava por contusão. Os demais jogadores são todos basicamente previsíveis, à exceção de Danilinho, que não apareceu muito, e bem marcado também pode ser anulado com facilidade.

É fato que o rival compensou a pouca técnica de sua equipe com muita luta e brio, mas isso não é bastante para se conquistar muito no futebol, caso contrário o campeonato argentino terminaria empatado.

Ocorre, que o Cruzeiro não atuara bem, o que não era esperado, e o Atlético apresentou o pouco que tem, o que era esperado, culminando com pouco futebol na tarde desse domingo para decepção de quase 60 mil pessoas.

Meus destaques vão para o setor defensivo do Cruzeiro. Pra mim, o zagueiro Espinosa e o goleiro Fábio foram os melhores em campo da equipe azul. Todos dois foram muito exigidos e mostraram segurança e acima de tudo eficiência, o que foi fundamental para não cair a invencibilidade do time na temporada.

De todo o ocorrido, penso que ficam algumas lições do jogo: primeira, que o time é bom, mas precisa se preparar para se desdobrar em momentos de adversidades imprevistas. Segunda, que a pressão do risco da derrota para o rival, mostra que o time não é o melhor do Brasil, e precisa corrigir falhas estruturais, como as de conclusão. E terceira que um pouco de humildade, e a ausência de vitória, pode fazer com que o time enfrente seus desafios com mais seriedade e aplicação ainda, nos momentos decisivos que virão, características essas que tem sido a cara do time, e que serão indispensáveis no prolongamento da temporada.

Abraço a todos e boa semana. Deixo aqui os cumprimentos à ?arucuolag? ] pelo seu lindo bandeirão, e os parabéns à Máfia e TFC que uniram as baterias e torceram juntas fazendo da torcida azul uma só.

Fabrício Augusto Reis
www.torcidafanaticruz.com.br
(17) Comentários > Comentar