Busca
ENQUETE Você acha que a transmissão de radio deve ser cobrada pelo cruzeiro?
  • Sim
  • Não
  • Somente para Radio Itatiaia




16 01 08
Orgulho de ser Cruzeirense

Cruzeiro 1 x 0 Internacional-RS

18/12/2007


A segunda edição do Campeonato Brasileiro da categoria Sub-20, iniciada em 2006, reuniu as principais equipes profissionais do país e teve o Cruzeiro como campeão.


O campeonato foi disputado no Rio Grande do Sul e jogando em casa o domínio daquele primeiro torneio foi Gaúcho com Internacional e Grêmio fazendo a final, e com o Inter levando a melhor e nada mais natural que as duas tradicionais equipes fossem favoritas na segunda edição. O Cruzeiro teve o destino de enfrentar ambas.


O Cruzeiro entrou no torneio como favorito mesmo jogando tão longe de casa. A conquista da Copa São Paulo de Juniores e o vice-campeonato na Taça BH da categoria qualificaram a equipe como uma das mais promissoras e eficientes do país.


A base celeste tinha montado um dos melhores times de sua história, comandados pelo atacante Guilherme e pelo capitão Paulinho Dias o Cruzeiro iniciou o ano conquistando a Copa São Paulo de Juniores.Título este o último que nosso rival regional possuía que o Cruzeiro não havia conquistado (hoje em dia resta a nosso rival apelar para compra de pódio no atletismo aonde alias nós também temos mais títulos).


Na Copa SP, o titulo veio de forma dramática, nos pênaltis, batendo o clube da casa São Paulo por 6 a 5. Guilherme e Paulinho foram promovidos ao time profissional naquele ano mesmo. Anderson, um dos destaques da Copinha também teve fugaz oportunidade no profissional sem, no entanto, se firmar.


Aqueles garotos, além da Copinha, ainda conquistaram a Copa Ado Den Haag, disputada na Holanda, derrotando o Sevilha, da Espanha, por 1 x 0, na final.


Ao todo este seria o quinto torneio que este time disputaria no ano sendo que, nos 4 primeiros, chegara a final conquistando dois títulos e dois vices.


Na edição 2007 do Brasileiro Sub-20, o time celeste cumpriu a expectativa fazendo bela campanha, eliminando o Grêmio na semifinal e chegando a mais uma decisão no ano.


Porém, nesta final, contra o Internacional de Porto alegre nosso time entraria como o azarão, afinal os gaúchos jogavam com o apoio da sua torcida e tinham ainda o melhor ataque do campeonato. Já o Cruzeiro chegou a final baseado em uma defesa quase impenetrável, que tomara apenas 2 gols em 5 partidas com o zagueiro Wellington e o goleiro Rafael sendo considerados promessas e destaques de toda a competição (ambos serão aproveitados no elenco profissional em 2008).


O jogo começou debaixo de chuva e com o campo pesado a raça seria ainda mais importante para definir o campeão. Como era esperado, o Inter veio para cima apoiado por sua torcida. O Cruzeiro mostrava uma defesa sólida e chegava, nos contra-ataques, com mais efetividade. Aos 11 minutos Wallace cobrou bem uma falta levando perigo ao gol gaúcho, aos 19 foi a vez do Inter ameaçar. Ramon chutou forte no canto esquerdo e Rafael apareceu bem para defender. Aos 30 minutos novamente o colorado chegou próximo ao gol, Walter chutou a direita de Rafael. O Cruzeiro rapidamente deu o troco duas vezes com Wallace mas em ambas oportunidades a bola foi para fora. E assim foi todo o primeiro tempo com chances reais para os dois lados.


Na volta para o segundo tempo é que os garotos celestes mais uma vez mostrariam sua grandeza.


Ao sair dos vestiários e se dirigir ao gol que defenderia na segunda etapa Rafael se surpreendeu coma selvageria de alguns supostos torcedores. Numa clara tentativa de intimidar os garotos a torcida gaúcha começou a atirar bombas no campo. O árbitro atrasou o reinício da partida temendo pela segurança do goleiro celeste e enquanto parte da torcida vaiava a atitude dos delinqüentes outras bombas voavam em direção ao gol celeste. As bombas só pararam quando a policia finalmente agiu. Esta clara tentativa de intimidação, ao contrário de intimidar nossos garotos, fortaleceu ainda mais o nosso time rumo ao título. A expressão de calma no rosto de Rafael parecia que transbordou para todo time e mais uma vez provamos que nunca ninguém vai ganhar do cruzeiro no grito.


O zagueiro Wellington era um gigante cortando todos os ataques colorados. Aos 3 minutos Zé Eduardo arriscou belo chute que passou raspando a meta colorada, aos 11 o técnico Enderson Moreira tirou Wallace e colocou Joabe, e aos 22 tirou Marcinho e colocou o meiocampista Bernardo, substituções estas que foram decisivas para o titulo.


Logo em sua primeira participação, Bernardo recebeu no meio e fez lindo lançamento a Zé Eduardo que invadiu a área e quando ia marcar foi derrubado, pênalti que Joabe cobrou com a tranqüilidade de um veterano marcando o gol do título. Se com empate a defesa celeste já estava quase impenetrável depois do gol o Cruzeiro se fechou segurando o resultado e calando a torcida colorada.


O Cruzeiro era campeão nacional mais uma vez, agora com seus garotos e na comemoração o exemplo que a torcida espera de todos os “profissionais”que vestem nossa camisa.


No pódio, com as medalhas e a taça na mão, os jogadores cantaram o hino do Cruzeiro a todos pulmões emocionando toda uma nação.


Obrigado garotos por mostrar que o exemplo vencedor de ser cruzeirense esta muito vivo!

Ficha Técnica
Cruzeiro 1 x 0 Internacional-RS
Campeonato Brasileiro Sub-20 - Passos D´Areia - Porto Alegre
Público - não divulgado /
Renda - Não divulgada
Árbitro -  Leonardo Gaciba (RS)
Auxiliares -  José C. Franco (RS) e Márcio C. da Silva (RS)
Gol: Joabe aos 25 min do segundo tempo.
Cartões Amarelos: Marcos, Maicon e Marcinho (CRU), Fernando e Guto  (NT-MG).

Cruzeiro : Rafael; Marcos, Wellington, Cleberson e Diego Renan (Luisão); Maicon, Carlos Magno, Zé Eduardo e Wallace (Joabe); Marcinho (Bernardo) e Vinícius. Técnico: Enderson Moreira.

Internacional-RS : Agenor; Diogo (Pedro), Pessanha, Tite e Ramon; Sandro, Walter (Éder), Fernando (Hélder) e Tales (Léo); Paulinho (Fernando Gabriel) e Guto. Técnico: Osmar Goss.


Dedicatória.
Esta Página
Imortal é dedicada a todos  atletas, integrantes da Comissão Técnica, do Treinador ao roupeiro e mordomo que se dedicaram e estiveram envolvidos com a competição e mostraram empenho na conquista. Mesmo sendo nas categorias de base estes cruzeirenses de coração ficarão na memória dos cruzeirenses e na história do Cruzeiro Esporte Clube. Parabéns a todos e que sirva de exemplo para os demais das outras categorias conquistarem muitos títulos e vitórias.



(14) Comentários > Comentar